peperonity Mobile Community
Welcome, guest. You are not logged in.
Log in or join for free!
 
New to peperonity.com?
Your username allows you to login later. Please choose a name with 3-20 alphabetic characters or digits (no special characters). 
Please enter your own and correct e-mail address and be sure to spell it correctly. The e-mail adress will not be shown to any other user. 
This password protects your account. To avoid typos it must be entered twice. Please enter 5-20 alphabetic characters or digits (no special characters). Choose a password that is not easy to guess! Never disclose your password to anyone. 
This password protects your account. To avoid typos it must be entered twice. Please enter 5-20 alphabetic characters or digits (no special characters). Choose a password that is not easy to guess! Never disclose your password to anyone. 
Stay logged in
Enter your username and password to log in. Forgot login details?

Username 
CAUTION: Do not disclose your password to anybody! Only enter it at the official login of peperonity.com. We will never ask for your password in a message! 
Login
Stay logged in

Share photos, videos & audio files
Create your own WAP site for free
Get a blog
Invite your friends and meet people from all over the world
All this from your mobile phone!
For free!
Get started!

You can easily invite all your friends to peperonity.com. When you log in or register with us, you can tell your friends about exciting content on peperonity.com! The messaging costs are on us.
Meet our team member Sandy and learn how to create your own mobile site!

A esperança de uma vida após a morte - aterrorizadora



A esperança de uma vida após a morte
A esperança de uma vida após a morte - cf fbd cc cbd df
Diana era o nome da bela adolescente de 19 anos loira de olhos muito claros de um belo azul marinho e pronta para o seu casamento com o seu suposto princepe encantado ele era bem difrente de diana dava pelo nome de luis... Parecia um deus grego. Tinha olhos tao negros que mais parecia a escuridao duma tumba cabelos castanhos e vistosos. Mas embora bonito e simpatico omitia seus mais preversos pensamentos grotescamente insolitos e aterorizadores.
diana apos o casamento começou a ser brutalmente violentada por seu marido o qual abandonou um ano mais tarde deichando-lhe um bilhete o chamando de pulha e foi viver com seus pais e irmao.
dois dias apos fugir ao seu marido regressava a casa de sua mae apos um dia de trabalho cansativo numa fabrica textil. Ao chegar estranha nao ver sua mae com de costume em sua cadeira de balouço a sua espera par jantar. Em vez disso era estranhamente acompanhada por um spucral silencio catacumbico aterrorizador. Meio e medo mete a mao na macaneta e entra em casa logo fica com a visao turva ao visualizar tamanha brutalidade no al de entrada jazia morto seu querido pai totalmente dilacerado e sem cabeça.
Em meio de grande agonia segue ate a cozinha e se depara com o seu irmao jonh de apenas 5 anos com o dorso cortado pela metade por algo provavelmente bem afiado e tambem sem cabeça. Por vezes tinha que conter e evitar o vomito que lhe causava o cheiro repugnante e nauseabundo entrando nefastamente em suas narinas aquela magoa infinita e dolorosa em conjunto com as vastas imagens de seus parentes defuntos e estirados ao frio e cavernoso chao de marmore.
Foi por meio de muita força e revolta que segue
tentando encontrar sua querida mae. Começa a subir as escadas apos passar pela sua sala de estar em que antes se ouvia risos alegres e historias agora um estranho e catacumbico silencio. Sua bela sala antes pintada de um vivo amarelo e agora totalmente pintada e rabiscada com uma cor escarlate viva e coagolada. Era sangue. Muito sangue.
Ao chegar em seu quarto sua cara de agonia se forma em uma horrivel careta ao admirar tao grotesca cena. Antes de desmaiar e cair ao chao ainda teve tempo de ver as cabeças
de seus familiares em roda postados em cima de sua cama e em letras de sangue escrito na parede branca:
SEREI O PULHA DA TUA VIDA...
ATE A TUA MORTE. Ha ha ha.
Dito isto o seu ex marito começa a espetar uma seringa deveras ponteaguda nu tubo do soro onde lentamente vai insserindo ar.
O ar que premite a vida e que agora a retira.
Bruscamente e antes de morrer ela grita. -Serei a tua morte dentro de teus pesadelos...
...................................... .. .. ... . . . . . .. . . . .... . . . .
Onde estou?
Acordara nun hospital da zona possivelmente alguem teria visto aquela cena dantesca e horrivel e teria chamado a policia.
As imagens da sua famila morta nao lhe saia da cabeça as imagens rodopiavao em sua cabeça.
Finalmente adromeçe mas por quanto tempo?...

...fim...



Escrito por: Aterrorizadora
Visits: 304


This page:





Help/FAQ | Terms | Imprint
Home People Pictures Videos Sites Blogs Chat
Top